Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

Segurança na internet

Segurança na internet

 

De acordo com as pesquisas feitas pelo Cert.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil) a fragilidade no Brasil em acessos a internet é preocupante. Segundo dados as páginas falsas de sites de bancos e e-commerce no país aumentou 47% em relação ao trimestre passado e 136% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O aumento nos casos de phishing (palavra em inglês que representa um tipo de fraude na internet) no Brasil foi devido ao fato de 73% dos internautas terem dificuldades de identificar sites falsos, com isso o golpe dos criminosos gera prejuízos enormes causando a perda de dinheiro e em casos graves até ameaças.

Em um teste online feito com 1006 internautas brasileiros colocou dois sites idênticos, porém um verdadeiro e outro falso e foi descoberto alguns dados importantes, as mulheres são 10% mais suscetíveis a caírem no golpe do que os homens, as pessoas da região centro-oeste foram as que tiveram mais facilidades em identificar um site phishing, o grupo etário de 35 a 44 anos foram as mais vulneráveis a cair em armadilhas com 21% a mais de chances de serem vítimas do que o grupo etário de 18 a 24 anos.

Para ajudar você leitor (a) a se proteger desses sites falsos e dos criminosos da internet, veja algumas dicas importantes na hora de acessar a web:

  • Atualize sempre os softwares e navegadores;
  • Em redes sociais (Orkut, twitter, facebook etc.) evite clicar em links e desconfie quando forem links totalmente fora do perfil de seu amigo (a);
  • Faça downloadde sites confiáveis, pois antes de baixar o arquivo não tem como saber se é um vírus;
  • Antivírus, antispyware e firewall são softwares fundamentais para proteger o seu computador a invasões indesejadas, o primeiro detecta o vírus e elimina, o segundo combate os programas espiões e o terceiro bloqueia a recepção de dados nocivos;
  • Senha segura – evite cadastrar senhas iguais nos serviços de emails, contas bancárias online e cadastro em sites e-commerce. Troque-as periodicamente, para evitar qualquer fraude e nunca salve as senhas nos navegadores;
  • Para identificar se um site é phishing primeiro visualize o URL da página e veja se possuem alguns códigos e símbolos estranhos, sites falsos normalmente possuem erros ortográficos, ao acessar sites de bancos ou qualquer outro serviço que precise informar dados pessoais sempre digite diretamente na barra do navegador o endereço do site;
  • Antes de realizar uma compra na internet, tome os seguintes cuidados: Nunca compre produtos em computadores públicos, utilize sempre o seu pessoal. Busque informações sobre a empresa antes de comprar, como no e-Bit (site de qualificação do vendedor). Verifique se na página da empresa possui um cadeado (fica na barra de endereços do navegador ou no rodapé), se tiver depois verifique a data de validade do certificado, estando tudo ok, compre sem medo.

Segurança no Second Life

 

O aumento da popularidade do Second Life (SL) vem atraindo cada vez mais as atenções de fraudadores, ameaçando a segurança e testando a paciência de seus residentes.

Avatar bloqueado

Ao navegar pelo blog do SL (blog.secondlife.com) fica claro que a principal preocupação dos internautas que têm suas contas adulteradas não é tanto com o acesso aos seus detalhes pessoais, mas, sem que possam acessar suas próprias contas, impera o sentimento de frustração por estarem fora do jogo.

Diante de uma senha roubada, como a maioria nunca fez um pedido de confirmação de senha via e-mail, em geral, os usuários do Second Life não se recordam dos dígitos de segurança. Outros dizem que os links para digitar demais detalhes aparecem quebrados ou adulterados (com uma questão de segurança diferente daquela escolhida).

SAC

A Linden Lab (administradora do SL, baseada em San Francisco) já chegou a oferecer um SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) por telefone para usuários, fornecendo um número no Reino Unido para ligações gratuitas. No entanto, a iniciativa parece ter causado ainda mais problema.

Um dos usuários, em comentário deixado no blog da Linden, afirmou ter tido seu acesso bloqueado, sua pergunta de segurança alterada e, mesmo sabendo a resposta correta, não pôde ter seu avatar de volta, sendo bloqueado do game. O internauta ligou para o serviço de telecomunicação britânico e checou o número disponibilizado pela Linden Lab, descobrindo que o número não existia.

Outro usuário também relata no blog da Linden os inconvenientes que enfrentou. "Sou um jogador casual do Second Life, e minha conta [não-paga] está agora bloqueada. Eu não moro nos EUA e não estou a fim de gastar com ligações para o exterior."

"Eu acho que o SL terá uma queda em sua população porque eu não devo ser o único a ter problemas de autenticação de senha. Adeus Second Life, talvez eu tente novamente em uma outra vida."

Ataque de vírus

Há um mês, o vírus "Grey Goo" se apresentou na comunidade virtual como anéis de ouro. Se um residente do SL tocasse em um desses anéis, o programa era ativado. Em pouco tempo, o vírus se instalava na memória do computador da vítima e se duplicava pelo game.

A multiplicação do vírus ocupou os servidores da companhia Linden Lab, empresa responsável pelo mundo virtual, provocando uma "pausa nas atividades do game de pelo menos 20 minutos", segundo a mensagem veiculada pelo próprio site da Linden Lab. "Já isolamos [o código malicioso] e, no momento, estamos limpando nossos servidores", esclarecia a empresa aos internautas.

Em setembro deste ano, centenas de milhares de senhas de segurança foram alteradas por um hacker que teve acesso a detalhes pessoais de mais de 660 mil pessoas que jogavam regularmente o SL. Os proprietários do game on-line admitiram sua incapacidade para determinar quais contas foram adulteradas e, por isso, aconselharam todos os 661 mil residentes a criarem novas senhas.

Segundo a Linden Lab, o hacker teve acesso a nomes, endereços, senhas e algumas informações de cartão crédito, graças à uma falha de segurança do software dos servidores do SL. A empresa garantiu que dados de cartões de crédito que ainda não haviam sido criptografados não foram expostos porque estavam em servidores separados --as vendas da comunidade virtual em mercadoria e serviços giram em torno de 2 milhões de libras mensais (cerca de RS$ 17 milhões).

Para garantir que a segurança das 260 mil pessoas que já haviam atualizado suas senhas desde o anúncio, a empresa afirmou que "continuaria a tomar medidas agressivas" para proteger os usuários e sua privacidade.

Cuidados com a senha

Empresas de segurança ressaltam que alterar a senha não acaba com a vulnerabilidade daqueles que têm uma base de dados no Second Life, disse Graham Cluley, da empresa de segurança na internet Sophos.

"Os jogadores podem achar que, uma vez modificada a sua senha no Second Life, eles estarão fora de perigo, mas a realidade é que a antiga senha também pode ser usada para atingir outras contas."

De acordo com a companhia, há motivos reais para se preocupar. Em uma pesquisa realizada pela empresa, 14% das pessoas afirmaram usar uma senha diferente para cada site, contra 40% dos internautas que usam a mesma senha no acesso de diversos sites.

Para evitar demais fraudes, é preciso ser tão criativo quanto os autores de fraudes virtuais. É importante usar diferentes senhas para cada um dos sites que contenham informações pessoais do usuários.

O internauta também não deve escolher palavras curtas que existam em dicionários. Empresas especializadas em segurança na internet recomendam utilizar palavras inventadas, longas e, preferencialmente, mescladas a números, difíceis de serem adivinhadas. Também é recomendável trocar de senha com uma certa freqüência, ou sempre que houver suspeita de ataque de vírus.